Atualizando: Em que pé estão as vacinas?

Por Andrés Calil em 23 de Setembro/2020 às 13:35

Em Julho nós anunciamos a situação das principais vacinas sendo desenvolvidas (a matéria pode ser lida clicando aqui). Agora é hora de analisar tudo que aconteceu de lá pra cá para criar uma novas perspectivas.

A vacina de Oxford passou por alguns problemas

A vacina de Oxford, produzida pela AstraZeneca é a que está em situação mais adiantada, tendo seus testes iniciados em vários lugares do mundo - inclusive no Brasil - em Julho.

Porém no começo desse mês seus testes foram interrompidos devido a um efeito colateral grave. Isso significa que uma das pessoas que recebeu uma dose da vacina sofreu alguma reação que colocou sua vida em risco.

Estudos foram feitos para verificar se essa reação foi decorrente da vacina ou se foi apenas uma coincidência - a pessoa teria tido esse problema mesmo sem tê-la tomado - e apesar de muitas especulações não foi dito oficialmente o que o voluntário em risco teve, porém depois de alguns exames, os testes da vacina foram retomados e continuam promissores.

Quando será distribuída? 
O Ministério da Saúde garante que com a conclusão dos testes, o Brasil deve receber 30 milhões de doses ainda em janeiro. Considerando que nosso país tem cerca de 28 milhões de pessoas acima dos 60 anos, é de se acreditar que a primeira leva seja destinada à eles.

A Vacina da Johnson & Johnson

Hoje, dia 23/09 se iniciaram os testes da vacina da J&J, dos EUA. São 60 mil doses distribuídas ao redor do planeta, e o Brasil está entre os países que a receberão.

A maior vantagem dessa vacina é que é de dose única e não precisa ser refrigerada.

Quando será distribuída?
Se tudo der certo, no início do ano que vem. Além disso, a Johnson & Johnson acredita que conseguirá produzir 1 bilhão de doses ao longo de 2021. Considerando que é uma empresa americana, podemos acreditar que as primeiras 330mi doses serão distribuídas nos EUA, o que faz sobrar 670 para o resto do mundo. O Brasil com seus 200 milhões de habitantes provavelmente não será contemplado integralmente.

A CoronaVac é a mais promissora para o Brasil

É a vacina produzida pela empresa chinesa SinoVac em parceria com o Instituto Butantã. Dos 50 mil voluntários que a receberam, apenas 100 tiveram uma febre leve após a aplicação, e nenhum teve sintomas mais graves que isso.

Quando será distribuída?
Como foi produzida em parceria com um instituto brasileiro, acredita-se que se nada der errado até lá, já em outubro o Brasil receba 11 milhões de doses.

Vacina exclusiva para paulistas?
O governador do estado de São Paulo, João Dória, afirmou essa semana que, indiferente do posicionamento do governo federal, 5 milhões de paulistas receberão a vacina ainda em outubro. É possível que o governador tenha esse poder já que o instituto localiza-se no estado. Considerando esses números, 6 milhões de doses seriam distribuídas ao resto do país ainda em Outubro.

Outra afirmação do governador é que São Paulo receberia mais 45 milhões de doses até o fim do ano, o que imunizaria completamente o estado. Se é promessa de político ou realidade, só o tempo vai dizer.

Atualizado em 01/10/2020:
O Governador Dória já mudou o discurso, afirmando que em dezembro os profissionais de saúde receberão a vacina e que até fevereiro todo o estado receberá.

 

 


Mais em Tudo Sobre Nada

© 2020MePixa! - Todos os direitos reservados - Política de Privacidade