Implicações da vida extra-terrestre

Por Andrés Calil em 14 de Setembro/2020 às 10:09

Estamos sós? Estima-se que o universo possui 10 sextilhões de estrelas e, recentemente descobriu-se que a maioria delas possui planetas orbitando. Será possível que a vida tenha sido gerada apenas em nosso planeta?

Para se ter ideia do que é um "sextilhão", 1 milhão de segundos equivalem a 11 dias, 1 bilhão de segundos equivalem a 31 anos. 1 sextilhão de segundos equivaleriam a 31.709.791.980 anos, mais tempo do que a existência do universo. Ok, você continua não entendendo, né? É muito grande pra nossa mente.

O que é o paradoxo de Fermi?

O paradoxo consiste na contradição: Um universo quase infinito deve ter uma quantidade de vida quase infinita. Onde essa vida está? Por que ainda não temos nenhuma evidência dela?

O Astrônomo Frank Drake bolou uma equação (conhecida como a Equação de Drake) que contabiliza a probabilidade de planetas que poderiam manter vida semelhante à nossa. Com o número aproximado de planetas, você adiciona a probabilidade do surgimento da vida. Se for de uma em um bilhão, ainda assim teríamos um universo vastamente povoado.

O problema da equação é que nós não sabemos como a vida surgiu e, por consequência, qual a probabilidade desse surgimento. Se for de um em um sextilhão, podemos estar realmente sozinhos. Por conta da ausência de dados, o próprio Drake afirma que sua equação não pode resolver o Paradoxo de Fermi, servindo apenas para organizar nossa ignorância no assunto.

Por que não há evidências?

Considerando que exista vida em outros planetas, a melhor explicação sobre a ausência de evidências está na correlação das distâncias absurdas com a quantidade de tempo gigantesca do universo.

O universo tem aproximadamente 13,8 bilhões de anos. Nosso planeta foi formado há 4,5 bilhões danos. Estima-se que a vida na Terra começou há 3500 milhões de anos. Já a vida organizada em sociedade com tecnologia o suficiente para emitir sinais de rádio no espaço não tem nem 200 anos.

Na maior velocidade que já atingimos no espaço, levaríamos 16.000 anos para chegar à estrela mais próxima da Terra.

Vamos supor que nossa civilização ainda dure mais 100.000 anos antes de colapsar e deixar de existir (uma estimativa bastante otimista). Nesse quadro, em uma linha de tempo de quase 14 bilhões de anos, temos uma janela de 100.000 anos para entrar em contato com outras civilizações.

Qual a probabilidade da janela de tempo de outras civilizações coincidir com a nossa janela de tempo? E, além de coincidir o tempo, estar numa distância espacial que possibilite o contato? Quando você adiciona esse pensamento, os números saem do plausível para o quase impossível.

O fenômeno OVNI

Em todo o planeta existem relatos de avistamento de Objetos Voadores Não Identificados. É preciso entender que a existência inegável de OVNIs não reflete na existência de vida extra-terrestre. Como a sigla diz, ovni é apenas um objeto que você não soube identificar. Algo no céu que você não sabe o que é.

Infelizmente - e acredite, eu gostaria muito que essa não fosse a verdade - todos os relatos de aparição de OVNIs feitos até hoje se mostraram enganos ou apenas inconclusivos. Nenhuma evidência sequer de que estejamos sendo visitados por alienígenas foi revelada.

Existem aparições de OVNIs que continuam um mistério? Sim, existem. Mas se você entende o que é a Navalha de Occam (leia aqui sobre ela), sabe que a probabilidade dessas aparições refletirem em vida inteligente fora da Terra são muito remotas.

A piada dos "Discos Voadores"

O termo "disco voador" surgiu pela primeira vez em 1947, em um jornal do Oregon nos EUA, e foi cunhado por um piloto americano que disse ter visto objetos voadores que "giravam de forma irregular como os pires de um malabarista". Daí saiu o termo Flying Saucers - Pires voadores em tradução literal - que foram adaptados como "discos voadores" no Brasil.

É importante entender que os objetos que o piloto viu não tinham formato de pratos e sim se movimentavam como pratos. Dito isso, após a veiculação da matéria, pessoas em todos os EUA começaram a ver objetos voadores em forma de prato nos céus. Um pouco depois o fenômeno se espalhou pelo mundo.

Mesmo que a aparição inicial não tivesse forma de pratos, as que vieram depois, saídas do imaginário popular, tinham. Isso indica que a histeria da possibilidade de extraterrestres nos visitando fez com que as pessoas vissem o que elas queriam ver. 

Outra curiosidade é que à medida que nossa tecnologia avançou e as pessoas passaram a andar com câmeras de altíssima resolução no bolso, os relatos de OVNIs foram diminuindo. Os Ufologistas, aqueles que querem acreditar, continuam se apegando àqueles vídeos de baixíssima resolução que podem ter sido facilmente forjados, porque não há material novo, HD, existente.

Triste.


Mais em Tudo Sobre Nada

© 2020MePixa! - Todos os direitos reservados - Política de Privacidade