O que é pseudo-ciência e como identificar?

Por Andrés Calil em 08 de Setembro/2020 às 15:56

A princípio, vivemos em um mundo civilizado basicamente regido pela ciência: Veículos, comunicação, Internet, informação, entretenimento, medicina: Tudo depende da ciência, nós somos extremamente dependentes da ciência.

No embalo desse núcleo de conhecimento, obviamente aparecem os aproveitadores tentando vender suas crenças e charlatanices como ciência. Como distinguir uma coisa da outra? Por que duas teorias podem ter pesos diferentes? Vamos entender isso agora!

O que é Ciência?

Antes de entender o que é uma pseudo-ciência, precisamos entender o que é ciência. Uma vez que isso seja compreendido fica fácil de cortar o que não se enquadre nesse meio.

A principal característica da ciência é uso do "método científico", que nada mais é do que juntar todas as evidências de uma teoria e testa-las. Quando um cientista faz uma descoberta sobre algo e publica, ele automaticamente convida todos os outros cientistas a provarem que ele está errado. Ele vai publicar o passo a passo do que ele fez para atingir o resultado e assim, cientistas do mundo inteiro poderão repetir o processo e se certificar de que chegam ao mesmo resultado.

Uma vez que isso seja feito, você ganha um poder de previsão, ou seja, você sabe que aquela sequência de acontecimentos gera aquele resultado.

A segunda maior característica da ciência é a mutabilidade. Ela não tem compromisso com tradições ou ideias: No momento que uma teoria antiga é provada errada, ela é descartada. Não há um livro sagrado ou guru cientista que não possa ser questionado, tudo muda, tudo evolui o tempo todo.

Procedimentos médicos de 20 anos atrás foram completamente substituídos por novos. Mesmo Einstein, um dos maiores cientistas de todos os tempos, foi refutado poucos anos atrás e uma de suas teorias se mostrou errada. Ninguém se abalou por isso, na verdade a ciência fica feliz cada vez que uma teoria antiga é derrubada.

E a pseudo-ciência?

Ela é exatamente o oposto: Ela não evolui, ela não pode ser testada ou, se é testada e falha, arranja uma desculpa para justificar.

Para exemplificar, utilizarei a Homeopatia, criada em 1796 pelo alemão Samuel Hahnemann. Essa pseudo-ciência acredita que todas as doenças tem relação com o desequilíbrio do corpo, e que você deve tratar o paciente com uma forma diluída do causador da doença.

O primeiro ponto que a torna pseudo-científica: Ela não evolui. Homeopatas de hoje utilizam os mesmos procedimentos criados por Hahnemann duzenos anos atrás. Quando o alemão criou a técnica não havia conhecimento de micro-organismos. Não se sabia nada sobre vírus e bactérias.

Hoje sabemos que um vírus está no ar, e se você se contaminar com ele, ficará doente, absolutamente nada a ver com desequilíbrio ou mente, é uma reação puramente física. Não houve adaptação com a realidade nem evolução das técnicas.

O outro ponto é que em todas as pesquisas que utilizaram o método científico, a Homeopatia fracassou, não conseguindo resultados melhores do que nenhum placebo.

Então por que tanta gente acredita?

Mantendo-me no exemplo da Homeopatia, a resposta é bem simples: Seu corpo tem a capacidade de te curar sozinho da maioria das doenças.

Então se alguém pega um resfriado e um homeopata recomenda um remédio, a pessoa será curada. O remédio não fez absolutamente nada, porém a pessoa, curada, fará uma boa propaganda do procedimento.

"E como provar que não foi mesmo o remédio que curou?" alguém pode perguntar, e a resposta é simples, o percentual de pessoas que se curam tomando homeopatia é idêntico aos que se curam sem tomar nada.

O Brasil enfrentou algo parecido com a Cloroquina durante a pandemia. O número de pessoas que se auto-curam de covid-19 é gigantesco, aqueles que tomaram cloroquina no processo - que se provou sem resultados em testes - acreditavam que o remédio os tinha curado, quando na verdade elas teriam se recuperado com ou sem a cloroquina.

Outras pseudo-ciências

O horóscopo é outra pseudo-ciência que se enquadra no modelo: É imutável, não evolui, não pode ser comprovada. Todas as vezes que houveram testes que tentassem comprovar sua existência, os testes fracassaram.

Por exemplo, se você pega o alistamento do exército, as pessoas que voluntariamente se alistaram a ser combatentes, verá que todas elas são pessoas mais propensas a violência, pessoas agressivas. É de se imaginar que se você puxar o horóscopo dos inscritos, os signos mais agressivos irão se destacar, mas a verdade é que não se destacam.

Florais é mais uma pseudo-ciência fácil de identificar: Seus resultados em exames científicos não dão resultados melhores do que placebo. Os florais também não evoluem, embora, por razões financeiras (copyright), outros pseudo-pesquisadores criaram suas próprias versões dos florais, que não invalidam a primeira, mas se dizem mais eficientes.

 

 


Mais em Tudo Sobre Nada

© 2020MePixa! - Todos os direitos reservados - Política de Privacidade